segunda-feira, 15 de julho de 2013



Todos sabem que é difícil se manter otimista em relação a alguns desafios que temos na vida. Outros são pessimistas em geral. Eu sou uma otimista, quase sempre. Tento me manter positiva frente as adversidades (que não são poucas), pois sempre me pergunto: Mas, será que o pessimismo compensa?

Um pessimista enxerga dificuldade em cada oportunidade; um otimista vê oportunidade em cada dificuldade. ―Winston Churchill

  otimismo

Pessoas que são otimistas são tipicamente saudáveis e mais produtivas que as pessimistas. Pegam menos resfriado, passam melhor pelas dificuldades diárias, e possivelmente vivem mais, pois reduzem seus níveis de stress.
Existe como se tornar um otimista?
A resposta é: SIM! Otimismo não é inato, não é uma característica de poucos escolhidos. É uma habilidade que pode ser aprendida. Aqui vão 6 coisas e algumas idéias dos otimistas e como seguir este caminho:


1.  Eles fazem um ótimo uso das opções disponíveis.

A maior parte das pessoas fica muito irritada com aqueles que parecem excessivamente otimistas, mas isso é geralmente, uma interpretação infelizmente equivocada da diferença entre um otimista e um idealista.
Um otimista não é ingênuo, ou fica em negação, não é cego para as realidades da vida. Um otimista acredita no melhor uso das opç˜es disponíveis, não importa o quanto são escassos os recursos. Como resultado, um otimista é capaz de enxergar melhor o quadro geral. Eles podem vizualizar melhor e manejar as possibilidades. Em outras palavras, um otimista simplesmente é um realista positivo.
A título de comparação: um idealista foca apenas nos melhores aspectos da situação e ignora os pontos negativos em total detrimento da realidade, um pessimista não vê nenhuma possibilidade, e um otimista seleciona as possibilidades entre as opções.

2.  Eles se respeitam pelo que são.

Quando criança, você se impressionava e se inspirava todos os dias. Você corria, pulava, balançava, cantava abertamente, sem preocupações, e sem se preocupar com o que os outros pensavam de você. Você não precisava constantemente da aprovação de todo mundo, porque lá no fundo sabia o quanto você era maravilhoso.
Então você ficou adulto, e a pressão das outras pessoas, da mídia e da sociedade como um todo começaram a te desgastar. Você começou a se comparar com todos a seus redor. Você mediu e julgou seu corpo, seu estilo de vida, sua carreira e seus relacionamentos com o da vida de outras pessoas. E chegou a conclusão que muitas destas pessoas tinham coisas que você não tinha, a amargura gradualmente se instalou e você parou de apreciar todas as coisas boas que todos temos em comum na vida.
Otimistas se defendem contra o auto desprezo em 2 maneiras bem primárias. Primeiro, eles voltam a confiar em sua intuição nas atividades diárias. Eles param de requerer a aprovação de todo mundo e simplesmente fazem o que acham certo em seus corações. Segundo, otimistas não se julgam com valores irreais de terceiras partes. Eles abrem mão de seus ideais e se apegam a suas crenças de que são bons o bastante do jeito que são, mesmo que se tornem uma versão mais forte e sábia de si mesmos depois.

3.  Eles separam felicidade de conquistas.

Para ser otimista, você tem que ser contente com sua vida, no geral. E para encontrar este contentamento, você deve olhar para dentro de você. Felicidade, no final das contas, é um trabalho interno.
Se você procurar felicidade fora de você, conectando a uma específica conquista, você tem 2 grandes problemas:
  1. Você pode nunca conseguir. – Se você sente que algo está errado com você e precisa de reparos, mas você continuamente falha em consertar, você pode entrar em uma espiral negativa onde cada vez que tenta consertar fica ainda pior. E, de repente, você não será bem sucedido nesta mudança porque perdeu a habilidade de acreditar em você mesmo.
  2. Você pode conseguir e decidir que quer ainda mais. – Se você sente que algo está errado com você e precisa de reparos, e foi bem sucedido nisso, pode ser que encontre mais alguma coisa nova que também precise de alterações. Talvez tenha perdido 40 quilos, mas ainda assim queira uma barriga tanquinho. Talvez tenha pago suas dívidas, mas queira 1 milhão de dólares na sua conta. Entendeu a idéia? É um ciclo eterno para uma vida inteira. Você nunca estará satisfeito e nunca alcançara seu objetivo, pois está procurando a felicidade em conquistas externas. A única fonte de felicidade está dentro de você.
Otimistas separam conquistas e felicidade e se permitem ser felizes, em cada momento, sem a necessidade de nada mais. Isso não quer dizer que são complacentes. Eles definem objetivos sim, trabalham duro, e crescem, mas aprenderam a aproveitar de maneira feliz a jornada, não apenas o destino.

4.  Eles evitam pessoas negativas e criam positividade.

Você é tão bom quanto suas companhias, e o sofrimento gosta de companhia. Se você despender muito tempo em volta de pessoas negativas, há uma grande chance de não encontrar nada que inspire a felicidade. Faça a você um grande favor e evite outras pessoas negativas. Se acerque de  positividade, suporte emocional saudável de amigos e gaste tempo com o que o faça sorrir.
Otimismo é um hábito que se aprende, e a positividade é contagiosa. Fique ao lado de pessoas que possam te infectar de coisas positivas, e então repasse seu bom humor a outros amigos ou estranhos através de palavras ou atitudes - diga a um amigo o quanto está parecendo bem hoje, deixe que alguém fique com a vaga, deixe que a pessoa com poucos itens tome a sua frente na fila do supermercado. O simples fato de fazer algo bom por aqueles que estão a sua volta irá ajudar a criar uma atmosfera positiva.
O ponto é a vida é maravilhosa e curta para desperdiçar tempo com pessoas que não te tratam corretamente. Junte-se aos que levantam seu humor nos dias mais difíceis, e retorne a delicadeza quando estiver apto.

5.  Eles esperam que a vida tenha altos e baixos.

Só porque uma pessoa é otimista não quer dizer que não vá ter maus dias. Você terá - é a realidade. A vida não e apenas arco-íris e borboletas. Um lastro na realidade mantém as coisas em perspectiva e ajudam a prevenir que as coisas saiam das estribeiras.
Esperar que a vida seja incrível o tempo inteiro é querer nadar em um oceano onde as ondas apenas se levantam e nunca quebram. Entretanto, quando você aceita que as ondas se levantam e quebram e que isso faz parte do mesmo oceano, você estará apto a deixar pra lá e ficar em paz com a realidade destes altos e baixos.

6.  Eles usam linguagem e gestos positivos.

Não é sempre que o que acontece determina seu humor, mas como você verbaliza expressa o que acontece que conta.
Por exemplo, quando um otimista que foi bem sucedido diz: "Foi como eu previa; estudei bastante e meu afinco deu resultados", enquanto um pessimista verbaliza: "Dei sorte de tirar uma boa nota neste teste". O último não se dá o devido crédito.
Em projetos faça você mesmo, diz o otimista: "Ou as instruções que estou seguindo não estão claras o suficiente, ou este projeto irá requerer mais esforço do que eu pensava, ou ainda, estou em um dia mais complicado. Em outras palavras, um otimista usa o diálogo interno (que temos conosco mesmos) para compreender os fatos, enquanto o pessimista interpreta como incapacidade, falta de habilidade geral e essa referência dura uma vida (Eu não sei fazer isso, não consigo fazer aquilo...).
Fale com você mesmo de maneira mais positiva independente de conseguir ou falhar, e gradualmente seu diálogo irá mudar.
Linguagem do corpo também é importante. Sorrir melhora seu humor. Quando você se sente pra baixo, seu cérebro diz ao seu rosto que você está triste, e seus músculos faciais respondem fixando uma careta, que, por sua vez, leva uma mensagem de volta ao cérebro: "É, você está infeliz." Você pode mudar sua reação interna ajustando seus músculos faciais para um sorriso, então seu rosto não corresponderá a seu sentimento. É uma maneira esperta de enviar uma mensagem diferente para seu cérebro: "Ei, a vida ainda é boa e estou caminhando". Seu cérebro irá responder mudando gradualmente seu humor. Questão de treino.
Acho que cada um sabe de si, mas creio que a maneira de ver os acontecimentos (principalmente os que não podemos impedir) faz toda a diferença na nossa vida. Treinar o cérebro é um grande diferencial.
Vocês não acham que vale a pena tentar?





Um comentário:

  1. Oie...!
    Tudo bom?
    Estou aqui pra informar que estou sorteando um bracelete de caveira e gostaria de

    te convidar à participar? Topa?!
    Então clique aqui: BLOG SÓ SORTEANDO
    Aproveite e conheça o Sorteio TOP: SORTEIO TOP

    Beijos!

    ResponderExcluir

Banner Arte com Sabor