quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Viver em Família

À medida que os filhos crescem, os problemas familiares vão se tornando mais freqüentes. Isso acontece porque estes vão se tornando mais independentes e passam a estender suas relações pessoais, buscando um convívio maior com amigos de escola, de academia e deixando a família de lado.
Os pais não devem se preocupar tanto com isso, pois esse desejo de conviver em grupo é normal e necessário para o crescimento e amadurecimento dos jovens.
Dar oportunidade para os filhos mostrarem que sabem conviver num meio social pode ser uma forma de mostrar que confiam neles, comprovando que o investimento feito na educação dos mesmos valeu a pena.


Se desde pequenos aprenderam a respeitar as regras de boa convivência da família, com certeza estas se estenderão para outros grupos sociais como a igreja, a escola, dentre outros.
Porém, é importante impor regras, limites e mostrar para os filhos que mesmo tendo liberdade para sair com sua turma, a família também gosta e valoriza sua presença nas reuniões, nas quais eles também devem participar.
O contato com tios, primos, avós, padrinhos é muito importante, pois aumenta os laços de afetividade que só fazem bem para se desenvolver segurança, auto-estima e amor próprio.
Mas nem sempre as coisas acontecem como queremos, e nesses laços constantemente aparecem problemas de relacionamento. Brigas e discussões por causa de brinquedos, jogos, televisão, vídeo game surgem, bem como as brincadeiras de mau gosto daquele tio chato que bebe além da conta e passa do limite.
Os pais devem dar o bom exemplo de que sabem resolver esses pequenos impasses de forma coerente e educada, não se envolvendo com as discussões das crianças, mas deixando que elas mesmas resolvam. Caso haja agressões físicas, devem separá-los e tentar propor uma conversa para resolverem o impasse, com solicitação de pedido de desculpas de ambas as partes. Nunca gritem ou briguem com os filhos dos outros, mesmo sendo parentes, pois isso poderá acarretar problemas maiores, levando os pais dos outros envolvidos a sentirem-se extremamente ofendidos com sua atitude.
O importante dessa convivência é mostrar para os pequenos ou jovens que, mesmo estando maiores, os limites existem e as regras de boa convivência devem ser respeitadas.




Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola



Um comentário:

  1. Gostei muito desse post, os pais precisam mesmo saber educar os filhos da melhor maneira possível
    e na verdade intervir nem sempre é a melhor escolha, ser mediador do que esta acontecendo, ajuda a manter o controle da
    situação, educa e auxilia a administrar esses conflitos
    beijos
    http://socorromaterno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Banner Arte com Sabor